Economia

Especialista diz que não se pode atribuir à pandemia o baixo desempenho econômico do Brasil. Confira e tire suas conclusões:

O presidente do Conselho Regional de Economia na Bahia (Corecon-BA), Gustavo Pessoti, disse, em entrevista à Rádio Metropole, que não se pode atribuir à pandemia da Covid-19 o baixo desempenho da economia brasileira.

Para ele, tem faltado “inovação econômica” ao governo do presidente Jair Bolsonaro (PL), e tem sobrado “desestabilidade” política.   

“A pandemia trouxe consequências evidentes, desaquecimento, desemprego, aumento do desalento, claro que sim. Mas a gente consegue ver claramente, se a gente traça o cenário 2018, 2019, 2020, 2021, que a gente não tem nada nenhuma inovação econômica tomando 2018 como referência, que nos permitisse dizer: ‘olha, passada a pandemia, a gente está pronto para a retomada consistente de crescimento econômico’. Tanto 2022 e 2023 são anos que a gente deve ter baixo crescimento e desemprego alto. É uma notícia desagradável”, avaliou Pessoti.

Na avaliação do especialista, não houve melhora em nenhum indicador econômico no Brasil, e a proposta de visão liberal defendida por Bolsonaro na campanha de 2018 não se concretizou.  

“Eu diria que a instabilidade trazida pelo governo é muito maior do que os avanços praticamente. Não tem avanço”, disse ele.

“Se você pegar todos os indicadores, em nenhum dos indicadores, o Brasil tem destaque. O Brasil não melhorou sua competitividade, não se tornou um país mais eficiente, do ponto de vista do ambiente de negócios. Não baixou a carga tributária. Não realizou o programa de privatização que pretendia”, acrescentou.

Fonte: Metro 1

Vamos produzir seu Jingle Político?
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo