Polícia

Delegado comenta sobre prisão da acusada de matar travesti em Santo Antônio de Jesus

Nesta segunda-feira (15), o delegado titular da 4ª Coorpin, Dr. Adilson Bezerra, comentou acerca do assassinato a uma mulher trans., de 32 anos, no Minha Casa, Minha Vida em Santo Antônio de Jesus, onde a polícia conseguiu localizar a acusada em menos de 12h.

De acordo com o delegado, em entrevista emitida pela Rádio Andaiá FM, a autora do crime que tem registros de passagem pela polícia, já se encontra na carceragem da delegacia a disposição da justiça criminal. Ele informou que a acusada é uma pessoa que se identificou como mulher e a linha investigativa não indica que a motivação do crime se trata de questões de gênero.

“As investigações não foram direcionadas a isso, a acusada tem envolvimento em outros crimes na cidade, quando era menor já foi internada pela prática de atos análogos ao crime de roubos à mão armada e latrocínio, onde ela teria tentado adquirir uma arma de uma pessoa aqui na cidade, tão logo a pessoa apresentou a arma e ela com a mesma arma mostrando testar o artefato, efetuou disparos contra a mesma e obviamente não efetuou o pagamento já que a vítima veio a óbito no local. E outros crimes relacionados ao tráfico de drogas, ela tem uma certa hierarquia na facção criminosa Bonde de SAJ, mais especificamente no Conjunto Habitacional Zilda Arns”, explicou o delegado.

Dr. Bezerra afirmou que com base nas investigações, Gerusa não tem nenhuma ligação com o tráfico de drogas. Em interrogatório, a acusada nega autoria mesmo com todo o conjunto probatório, há também a identificação de outras pessoas que estavam com a acusada no momento da execução, mas nós já temos provas suficiente do que motivou a lavratura do auto de prisão em flagrante. Informações preliminares dão conta que ela assumiu a posição do irmão dela no tráfico de drogas, após o mesmo trocar tiros com a policia e vir a óbito no final do ano passado. Sobre a participação de outras pessoas, já foram identificados e será representado pela prisão preventiva dos mesmos uma vez que eles empreenderam fuga”, falou.

As investigações e o inquérito seguem em andamento para ouvir testemunhas e adquirir novas provas, algumas perícias já foram realizadas na casa da acusada, “e será feito uma perícia completa no celular da vítima, onde serão restaurados alguns arquivos que foram apagados”, concluiu.

Voz da Bahia

Vamos produzir seu Jingle Político?
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo