PolíciaPolítica

Ministra chega a Cachoeira para apurar ameaças à prefeita: ‘Proteger uma guerreira’

A notícia de que a primeira prefeita da história de Cachoeira está sendo ameaçada de morte chegou a Brasília, e uma comitiva baixou no Recôncavo, nesta segunda-feira (10), para averiguar a história. A ex-feirante e agora prefeita Eliana Gonzaga (Republicanos) recebeu a ministra da Mulher, Família, e Direitos Humanos, Damares Alves, e representantes do Congresso Nacional e da Procuradoria Geral da República.

A comitiva deu apoio à prefeita, destacou a importância do estado de direito e disse que vai acompanhar o caso. A ministra Damares foi recepcionada pela prefeita na chegada a Cachoeira. “Estamos aqui para dizer para a senhora que a senhora não está sozinha”, afirmou a ministra.

Em seguida, a comitiva e a prefeita subiram para o segundo piso da Fundação Hessen, onde houve o encontro. Damares prometeu ajudar a prefeita na gestão, disse que haverá recursos federais para o município e fez uma reunião a portas fechadas com Eliana, congressistas e representantes da Procuradoria Geral.

“Se for necessário, o governo federal vem ajudar a te proteger, prefeita. A senhora terá o melhor mandato possível. A gente veio aqui para proteger uma guerreira”, disse Damares. Ela não deu detalhes sobre a pauta da reunião a portas fechadas.

Eliana, que sentou ao lado da ministra, agradeceu o apoio e se emocionou ao falar do caso. “Esse ato de hoje é a defesa do direito democrático. Cachoeira está sendo exemplo de crime político, mas afirmo que eles não vão me calar. O povo de Cachoeira é um povo guerreiro que participou da independência. O primeiro grito de liberdade foi dado aqui, na praça, e agora estamos dando outro grito pela liberdade. Eu não vou renunciar”, afirmou.

Ameaças

Ex-feirante, Eliana foi a primeira mulher, e negra, desde a emancipação do município de Cachoeira, em 1837, a comandar a cidade. Ela venceu a última eleição, em novembro do ano passado, derrotando o empresário Fernando Pereira, o Tato, (PSD) que tentava a reeleição. Ele já havia exercido o cargo em outros dois momentos, e se ganhasse seria o quarto mandato.

Desde que o resultado da eleição foi divulgado Eliana vem sendo ameaçada de morte. O caso ficou ainda mais grave depois que dois correligionários dela foram assassinados. Nesta segunda, a prefeita contou que depois que o caso ganhou repercussão as ameaças diretas cessaram, mas que os ataques continuam nas redes sociais. Por precaução, ela ainda não está dormindo na cidade.

Fonte: Correio

Vamos produzir seu Jingle Político?
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo